Por que você deve aprender a registrar seus gastos

Então o fim do mês chegou e o saldo da sua conta no banco zerou? Você tem a sensação que o seu dinheiro não dá pra nada e acaba muito rápido.

Essa pode ser a sua realidade, assim como, com certeza, é a realidade de milhares de brasileiros.

Pode ser que você passe por isso porque possui poucas entradas de dinheiro, ou pelo menos, as entradas são insuficientes para cobrir os seus gastos.

Por outro lado, pode ser porque você não possui um controle financeiro eficiente. Na verdade, há grandes chances da razão de fato ser esta.

Já falamos no artigo anterior sobre a importância do controle financeiro pessoal e como o ensino de finanças é escasso no país.

Hoje, damos sequência ao tema e falaremos sobre a importância de adquirir o hábito de registrar e classificar as suas movimentações financeiras.

Então, vamos lá? Continue lendo este artigo para entender porque você deve registrar seus gastos e como fazê-lo.

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Nunca controlou seus gastos? Você não é o único

É comum as pessoas ficarem até um pouco sem graça quando eu falo sobre este assunto.

Elas percebem que é algo tão simples de fazer e se sentem deslocadas por ainda não realizar o controle de suas finanças.

Se você está se sentindo assim neste momento, não sinta, você não é o primeiro e nem será último.

Carlos Wizard era assim.

Se você não o conhece, ele é um empresário brasileiro, que fundou a rede de idiomas Wizard e depois a vendeu por cerca de 2 bilhões de reais (isso mesmo, bilhões) se tornando um novo bilionário.

Pois este bilionário, mesmo ganhando dinheiro constantemente com a Wizard, se viu em um momento da sua vida com somente R$ 3.000,00 no banco.

Isto não aconteceu quando a Wizard tava começando, ou quando ele não tinha dinheiro.

Carlos, percebeu o pouco dinheiro em conta que possuía em uma festa, nos EUA, que ele ofereceu para os seus franqueados, devido ao sucesso que a empresa estava alcançando.

Isto mesmo, a Wizard estava no seu auge e o seu fundador só possuía 3.000 reais na conta.

Deste ponto em diante Carlos Wizard mudou a sua postura em relação ao controle de finanças. Hoje ele tem seu patrimônio na casa dos bilhões, adquiriu a Mundo Verde e a rede de fast food Taco Bell entre outros negócios bem sucedidos.

Se não acredita, o próprio Carlos Wizard conta sua história neste vídeo (a partir do minuto 38).

Outro bom exemplo a ser citado eu vi neste fim de semana mesmo.

Um ex-diretor de futebol do Atlético Paranaense, foi no programa Quem Quer ser um Milionário, apresentado pelo Luciano Huck.

Quando questionado sobre o motivo dele querer o prêmio, o ex-diretor confessou que já não tinha dinheiro, a não ser o da aposentadoria. Afirmou ainda que ganhou muito dinheiro, porém, do jeito que entrava, saía. Ele não tinha nenhum controle sobre seus gastos.

Além destes dois exemplos, não é difícil encontrar outros por aí. Ex-BBBs, ganhadores da loteria e empresários, que ganharam muito dinheiro, porém, por falta de controle, hoje nada possuem.

Então, não se sinta por baixo se você não possui o hábito de controlar suas finanças.

Sinta-se motivado sabendo que até bilionários passaram por isso, e que é possível mudar e começar a se organizar financeiramente.

Leia Também  Como investir no Tesouro Direto: Entendendo os Títulos

Nós, da maximiza-se, queremos e vamos te ajudar nesta missão. Ok?

Por que registrar tudo que entra e que sai

Conhecimento é poder. Esta justificativa é mais do que suficiente e eu nem precisaria falar muito mais, porém, para deixar tudo mais claro, vamos nos aprofundar no assunto.

Você só terá conhecimento das suas finanças se registrá-las. Não tem mágica.

Guarde isso: Você só pode evoluir aquilo que você mensura.

Por exemplo, como um time de futebol sabe qual o resultado que precisa fazer, até mesmo em número de gols, para se classificar em uma competição?

Só é possível saber, quando este mesmo time sabe os demais resultados, a pontuação do grupo, o saldo de gols dos adversários, entre outras informações.

Sem o registro dessas informações, é impossível um time saber que precisa ganhar de uma diferença de 3 gols para ir para a próxima fase, entende?

Se você quer evoluir financeiramente você precisa conhecer suas finanças.

Onde você se encontra hoje financeiramente? Quais são os seus maiores gastos? Quais são as suas principais entradas financeiras? Quando o mês apertar onde você pode realizar cortes? Vai sobrar dinheiro para aquela viagem?

Não tem jeito. Você só consegue responder essas e outras perguntas se tiver informação nas mãos, e essas informações vem por meio de registros das suas receitas e despesas.

Aconselhamos, na organização financeira, que você faça uma reserva de emergência, ou seja, tenha guardado/poupado, de 3 a 12 meses dos seus gastos mensais.

Por exemplo, se você costuma gastar em média R$ 2.000 por mês, você deve ter poupado de R$ 6.000 até R$ 24.000 na sua reserva de emergência, deste modo, caso não haja nenhuma entrada financeira em determinado mês, ou seja necessário fazer um gasto muito grande, você já possui esse dinheiro poupado.

A reserva de emergência é uma verdadeira mão na roda. Contudo, como saber quanto você tem que possuir poupado se você não sabe quanto gasta em média por mês?

Só tem um jeito. Registrando todos os seus gastos.

Ter esse controle financeiro é muito difícil, não vou conseguir!

Para de choro! Nem é tão difícil assim.

Com o avanço da tecnologia, hoje há inúmeros aplicativos que tornam essa tarefa uma moleza e ainda te oferecem uma série de gráficos e relatórios para você saber como andam as suas finanças.

Porém, não vou muito longe.

Se você tem por hábito pagar suas contas no débito, no crédito ou por transferência bancária, 90% do trabalho já foi feito, pois todas as suas movimentações ficam registradas no banco ou na operadora do cartão, basta você tirar o extrato e fazer as devidas análises.

Os aplicativos de algumas operadoras de cartão de crédito e de alguns bancos até já fazem a classificação destes gastos automaticamente (alimentação, lazer, luz, água, etc).

Você também pode exigir a nota fiscal de tudo aquilo que você compra e, pelo menos uma vez na semana, revisar nota a nota onde você anda gastando seu dinheiro.

Por fim, um simples caderninho e uma caneta também já resolvem o problema. Anote tudo aquilo que foi gasto em uma folha e todas as receitas em outra, finalmente faça um comparativo de entradas e saídas (Soma das entradas – Soma das Saídas) para ver se o saldo é positivo ou negativo naquele mês.

Leia Também  Como investir no tesouro direto - O guia definitivo

Não se preocupe em fazer grandes análises agora no início, apenas se preocupe em registrar todos, eu disse, todos os seus gastos, com pelo menos 3 informações relacionadas a eles: o produto/serviço adquirido, o valor e a data do gasto.

Registre desde o cafezinho até o aluguel, do almoço fora de casa até a conta de luz.

Anote tudo.

Falamos no outro artigo sobre como classificar e definir o seus gastos, porém, você precisa saber quanto gasta e com o que gasta para ter conhecimento de quanto é 50% do seu orçamento, e dedicá-lo aos gastos essenciais do mês, ou até mesmo, reduzir do seu estilo de vida em um mês mais difícil.

Só é possível tomar decisões financeiras, conhecendo bem suas finanças e para conhecer bem suas finanças só anotando todas as suas movimentações.

E o gasto com os cartões de crédito, como registro?

Ao realizar compras no cartão de crédito, você faz um gasto neste mês, para, geralmente, pagar no próximo.

Então, o gasto do cartão só deve ser contabilizado no dia e no mês do vencimento da fatura, que é de fato, o dia que o dinheiro vai sair da sua conta.

Por exemplo. Se você fez uma compra no dia 27/06, seu cartão fecha todo dia 4 do mês e a fatura vence todo dia 10, logo, essa despesa deverá ser contabilizada no dia 10/07 e não no dia 27/06. Blz?

Lembre-se que cartão de crédito é uma despesa para pagar depois, portanto, deve ser contabilizada também depois.

Bora lá!

Não pense muito e comece hoje mesmo.

Pegue seu caderninho e comece a registrar tudo, ou pelo menos, guarde as notinhas de suas compras.

No fim de semana, tire uns 30 minutinhos para ver e entender como andam os seus gastos, onde você têm maiores despesas e se realmente vale a pena ou é importante ter certos gastos.

Com o tempo vai ficar cada vez mais claro como está a sua situação financeira, e com essa clareza, ficará mais fácil tomar decisões importantes com relação ao seu dinheiro.

Ah! Se você é de tecnologia assim como eu, fique tranquilo, que nos próximos artigos daremos dicas de bons aplicativos para te ajudar no registro e análise das suas finanças.

Então…mãos a obra e me conta depois como está a sua saúde financeira.

Forte abraço!

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Alexander Lima

Administrator

Coach e Desenvolvedor de Software
follow me