Falta de concentração? Saiba como a neurociência pode te ajudar

Falta de concentração é um dos grandes males deste século, e por isso, alvo de muitos estudos científicos.

A ausência de foco sobre aquilo que é feito possui graves consequências, como:

  • Acúmulo de tarefas
  • Projetos atrasados
  • Estresse
  • Saúde mental comprometida

Sabe aquele sentimento de andar, andar e não sair do lugar? Então, este sentimento nasce muitas vezes devido a falta de concentração.

O mundo hoje está povoado de obstáculos e inimigos da concentração. Eles vão desde o excesso de informações até a organização e layout do seu espaço de trabalho.

Todavia, se existem tantos obstáculos para a concentração, há também comportamentos que nos ajudam a mantê-la.

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Já sabe o que é concentração?

Preste bem atenção na palavra. Podemos dividi-la em outras duas, não podemos?

Concentra ação.

Portanto, concentrar trata-se de centralizar toda a ação, ou melhor, centrar toda a atenção sobre uma atividade, objeto ou objetivo.

Guarde bem isto, posteriormente, esta definição nos ajudará quando falarmos dos exercícios para a concentração.

A concentração é um processo psíquico, ou seja, ligado a mente, logo, algo que pode ser trabalhado e melhorado.

A falta de concentração nasce, portanto, quando há outros fatores que acabam por descentralizar a sua ação, movendo o seu foco para outros pontos.

Em virtude deste fato, para combatê-la é necessário identificar quais fatores acabam por chamar mais atenção do que aquilo que você está fazendo.

É preciso identificar a causa da sua falta de concentração

Fadiga

Esta é uma das principais vilãs e sua falta de concentração pode ter origem aqui.

Para manter a atenção em algo por certo tempo é necessário energia e se sua energia não está lá muito alta esta será uma missão desafiadora.

Desse modo você deve rever com bastante carinho a sua rotina de sono.

Veja se sua quantidade de horas de sono está em conformidade com o que aconselha a Fundação Nacional do Sono, nos Estados Unidos.

Faixa Etária Horas de Sono por noite
0 a 3 meses 14 a 17
4 a 11 meses 12 a 15
1 a 5 anos 10 a 14
6 a 13 anos 9 a 11
14 a 17 anos 8 a 9
18 a 64 anos 7 a 9
acima de 64 anos 7 a 8

Ansiedade

A falta de concentração causada pela ansiedade é um dos sintomas que mais atrapalham as pessoas que sofrem com problemas emocionais.

Por conseqüência, da ansiedade vem o estresse, que acaba tirando a atenção do que realmente importa e criando problemas imaginários maiores do que são.

Quando estiver muito ansioso, procure relaxar com uma boa música, fazer exercícios físicos ou pensar em coisas boas, sonhos e metas que têm por realizar, que sejam mais fortes do que aquilo que está em sua cabeça.

Alimentação

Carro sem combustível não anda, certo? Assim como falamos na fadiga, o seu corpo precisa de energia para se concentrar.

Leia Também  Principais perguntas sobre a dieta Slow Carb

Porém, não saia por aí comendo de tudo.

A alimentação desequilibrada pode ser um dos causadores dessa dificuldade de se concentrar, pois deixamos de ingerir nutrientes muito importantes para o funcionamento adequado do nosso cérebro!

Por isso, procure fazer uma dieta balanceada. O segredo de tudo é a moderação.

Para dar um “up” na sua concentração nutricionistas indicam alimentos com Omega-3, complexo B, Ferro, Nitratos, Colina, Carboidratos e Cafeína.

Por conseqüência, alguns alimentos indicados são: Leite integral, Mamão Papaia, Laranja, Cenoura, Beterraba, Morango, Linhaça, Arroz Integral, Arroz Branco, Lentilha, Sardinha, Ovos, Frango, Alface, Agrião, Repolho e Soja.

Por fim, não pule suas refeições. Procure não ficar mais do que 4 horas sem se alimentar.

Motivação

Como manter a atenção em algo que você não gosta quando há milhares de coisas que você gosta ao redor?

Que desafio não acha?

A falta de concentração e de motivação costumam andar juntas.

Se essa é a sua causa, procure olhar com bastante sinceridade aquilo que está fazendo e realce os pontos positivos disto.

Por exemplo, talvez, o que você está fazendo agora seja algo que não traz nada no momento, porém, terá benefícios no longo prazo, assim sendo, foque neles.

Você também pode lembrar que esta fazendo isso por alguém, e que se você o fizer muito bem, irá ajudar muito esse alguém.

Uma vez que você analisou com bastante carinho, e não há nada que o motive a fazer a tarefa, acredite, ele não deve realmente ser feita.

Nenhuma das anteriores? Acho que é hora de ir no médico.

Algumas causas da falta de concentração são de fácil tratamento, bastando um pequeno esforço, mudança de hábitos e estilo de vida da pessoa.

Entretanto, há algumas que são casos clínicos e precisam da atenção de um médico especialista.

De acordo com especialistas, alguns destes transtornos podem ter origem na infância, como são os casos da Dislexia, o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) e até mesmo a Depressão.

Para estes casos, o recomendado é a procura de um especialista da área para a realização do tratamento adequado.

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Dicas da neurociência para melhorar a concentração

A neurociência é uma área da ciência que estuda o sistema nervoso, ou, para simplificar, o nosso cérebro.

Portanto, a neurociência estuda o comportamento do cérebro com relação aos mais diversos estímulos.

Deste modo, esta área de estudo possui alguns conselhos bem interessantes para acabar com a sua falta de concentração.

Arrume essa bagunça

Bagunça do lado de fora, reflete bagunça do lado de dentro.

De acordo com estudiosos, o nosso sistema nervoso tende a se espelhar no ambiente externo.

Por isso, se deseja realmente terminar este projeto, limpe essa sua mesa agora!

Leia Também  Quero ficar rico! Mas pra quê mesmo?

Sob o mesmo ponto de vista, a falta de cuidado com a ergonomia também pode gerar distrações.

Uma postura confortável impede que o cérebro desloque mais atenção para o cansaço do corpo do que para a tarefa.

Durma bem, muito bem

Pessoas que dormem pelo menos sete horas por noite têm atividade cerebral significativamente superior à daquelas que passam menos tempo na cama, afirmou o médico norte-americano Daniel Amen à revista Men’s Health.

É justamente na hora do sono que o nosso cérebro assimila e fixa aquilo que aprendemos durante o dia.

Aliás, segundo estudos, aquela soneca depois do almoço também é muito bem vinda.

Jovens e adultos que possuem este hábito apresentaram ganhos em memória e capacidade de aprendizado.

Durma muito bem por tempo suficiente e mande embora a falta de concentração.

Medite

Nossa mente é o nosso corpo. Portanto, devemos cuidar e exercitá-la do mesmo modo que fazemos com braços, pernas, abdômen, etc.

A meditação que falamos aqui não tem nada a ver com questões religiosas, mas sim com o termo mindfulness.

O mindfulness consiste no estado mental de atenção plena para o momento presente.

Faça o teste. Tire 10 minutos do seu dia para sentar de maneira confortável, inspirar pelo nariz e expirar pela boca lentamente concentrando-se somente na sua respiração.

Pesquisas mostram que esta prática aumenta a capacidade de fixar a atenção, além de favorecer a memória e facilitar a tomada de decisões.

Fique alimentado

Um experimento feito por pesquisadores ingleses mostrou que pessoas com sede demoram mais tempo para completar tarefas do que aquelas que estão bem hidratadas.

Trabalhar em jejum não é uma boa ideia para quem busca concentração. Isso porque o sistema atencional requer uma grande quantidade de energia.

Durante a jornada de trabalho, é aconselhável ter sempre algo no estômago: tanto para que haja força suficiente no organismo para manter o foco, quanto para que o cérebro não se distraia com a fome.

Uma barra de cereal ou fruta no intervalo das refeições já fornece energia suficiente para manter a concentração.

Música, música, música

Além de bloquear ruídos do ambiente, ouvir música pode ajudar a trazer relaxamento e concentração.

No entanto, antes de montar sua playlist, leve em conta algumas considerações:

  • Opte por músicas que você já conheça. Uma música nova exige mais atenção do cérebro, até para decidir se você gosta dela ou não.
  • Evite músicas que você adora ou odeia. Pesquisadores de Taiwan descobriram que sentimentos excessivamente positivos ou negativos pela “trilha sonora” facilitam a falta de concentração
  • Monte uma playlist de 50 minutos, este costuma ser o tempo máximo que conseguimos prestar atenção à algo de forma ininterrupta.

Faça intervalos regulares

Nosso cérebro consegue se fixar num único objeto por no máximo uma hora.

Em virtude disto, após esse prazo, o mais indicado é fazer uma pausa de até dez minutos para levantar e tomar um café.

Leia Também  O fim da neutralidade na internet e como isso afeta você

Uma ótima técnica para isso é a técnica pomodoro, que consiste justamente em intercalar intervalos de plena atenção com intervalos de descanso e distrações.

Se mexa!

De acordo com um estudo da Universidade de Illinois, a prática aeróbica pode desenvolver partes do cérebro ligadas à atenção e à memória. Em pouco tempo, os benefícios já podem ser sentidos.

Não para por aí, após meia hora de exercícios moderados (como uma caminhada na esteira) a rapidez do processamento de informações aumenta.

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Exercícios para aumentar o foco e melhorar a concentração

Assim como estimulamos um músculo para que ele cresça, podemos estimular o nosso cérebro a ter uma maior concentração.

Como visto anteriormente, toda vez que você centraliza a sua atenção o seu cérebro vai ficando bom nisso.

Além da meditação, separamos uma série de exercícios que ajudarão o seu cérebro a se concentrar melhor.

  1. Escolha um texto e conte quantas palavras têm em qualquer parágrafo. Quando começar a ficar fácil comece a aumentar o número de parágrafos ou até de páginas.
  2. Conte de 1 a 100 em sua mente e assim que terminar, conte de 100 a 1. Repita esse exercício ao menos 3 vezes ao dia.
  3. Conte de 1 a 100 em sua mente de 3 em 3 (1,4,7,10 etc.) e assim que terminar, conte de 100 a 1 da mesma forma (100, 97, 94 etc.)
  4. Escolha uma frase que te inspire e a repita mentalmente por 5 minutos e vá aumentando conforme for ficando mais fácil.
  5. Escolha um objeto simples, como uma caneta e observe-a. Tente apenas olhar, sem formular nenhum pensamento a respeito dela.
  6. Semelhantemente ao anterior, porém, você olhará para o objeto por 2 minutos e fechará seus olhos. Com os olhos fechados tentará ver a imagem do objeto em sua mente, lembrará de sua superfície, todas as características do objeto, como as deformações e as sensações que ele te desperta.Se a imagem começar a se apagar de sua mente, abra os olhos, observe-o  por mais algum tempo e repita o processo.
  7. Desenhe em uma folha de papel uma figura geométrica e pinte da cor que desejar. Concentre toda sua atenção para seu desenho.  Depois de um tempo, feche os olhos e tente visualizar a imagem mentalmente. Faça esse exercício por pelo menos 10 minutos e vá aumentando o tempo.

Conclusão

A falta de concentração possui muitas causas, porém, cada uma possui ações a serem tomadas.

A neurociência tem ajudado muito nesta tarefa e a tendência é ajudar ainda mais.

Importante lembrar que a concentração pode ser melhorada através de meditação e exercícios.

Portanto, cuide-se e mantenha o foco no seu objetivo.

Maximiza mais!

Assine nossa lista VIP e receba os artigos do blog no seu e-mail

Alexander Lima Administrator
Coach e Desenvolvedor de Software
follow me

Leia Também